Motocicleta

Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde janeiro de 2016). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Modelo pioneiro da Harley-Davidson.

Motociclo ou motocicleta (também conhecida simplesmente por motoca, moto ou ainda mota), é um veículo de duas rodas e tracção traseira - salvo raras excepções - com um motor que propicia sua auto-locomoção capaz de desenvolver velocidade de cruzeiro com segurança e conforto. É um meio de transporte bastante utilizado devido ao mais baixo consumo de combustível e por ter um preço mais acessível que a maioria dos automóveis. Entretanto, há motos que consomem mais combustível do que muitos automóveis, variando, entre outros fatores, com a cilindrada do motor.

Além de um meio de transporte, a motocicleta pode ser usada por áreas como desportos (Superbike, Motocross, Supermoto e Rali), lazer (Motoclube), utilitária (Motoboy) e como veículo militar.

História

Antecedentes

Tracção

Triciclo de Edward Butler.
Réplica da primeira motocicleta de que se tem notícia, uma Daimler-Maybach de 1885.
Um motor V-Twin de 995 cilindradas.
NSU Sportmax de 250 cilindradas de 1955.
Motoneta Zündapp Bella.
Motocicleta 49 cc. de 1966.
Guidão de uma motocicleta.
Jawa 350 motocicleta com sidecar.
Simulação computacional que mostra linhas de corrente sobre uma motocicleta em movimento (ver: fluidodinâmica computacional e aerodinâmica automotiva).

No século XIX, em 1820, o escocês Kirkpatrick McMillan obteve a tracção da roda traseira. Foi a partir dessa invenção que os ciclistas puderam movimentar-se sem colocar os pés no chão. Depois de muitos anos, em 1861, os franceses Pierre Michaux, um ferreiro, e seu filho Ernest Michaux, na época com apenas quatorze anos, construíram o velocípede, uma bicicleta com pedais (no formato da de McMillan) adaptados à roda dianteira, iniciando a produção para venda. Em 1866, Bin Chun chegou em Paris. O chinês, que já havia percorrido a Inglaterra e a Alemanha atrás de informações da bicicleta, levou suas anotações para casa e em apenas três décadas o veículo tornou-se a principal alternativa de transporte na China e na Índia.[1] A partir disso, houve inovações como a do inglês James Starley. Batizada de Rover, essa bicicleta trazia rodas do mesmo diâmetro, chassi feito em tubos de aço, guiador integrado ao suporte da roda dianteira e os freios eram a tambor. Os pedais acoplados a uma engrenagem, movimentavam uma corrente de transmissão que gerava a força motriz da roda traseira.

Pneu e roda

Quando a bicicleta passou a dispor de suas características principais um novo problema precisava ser solucionado: as rodas eram de madeira, ferro ou borracha maciça, comprometendo o conforto e a dirigibilidade. Essa restrição só foi superada em 1887, quando o veterinário escocês John Boyd Dunlop imaginou uma espécie de sobrerroda: um tubo de borracha oco, preso à roda por meio de uma tela de brim e enchido com uma bomba de ar. Nascia o pneu. Na França, os irmãos André e Édouard Michelin contribuíram para o rápido aperfeiçoamento dos pneus.

Motor

Na versão norte-americana, o inventor foi Sylvester Howard Roper, nascido nos EUA. O estadunidense que viveu entre 1823 e 1896 desenvolveu um motor de cilindros a vapor (accionado por carvão) em 1867. Esta pode ser considerada a primeira moto, já que tratava-se de uma bicicleta, mas com motor a vapor. Roper criou um sistema de propulsão a vapor em 1869 e, embora muito perigoso, fez sucesso em suas exibições. Muito barulhenta e fedida, ela assustava os cidadãos da época, além do fato de espantar os cavalos que transportavam os poderosos de então. Em 1895, Roper desenvolveu uma versão aperfeiçoada da bicicleta a vapor. Na época, as motocicletas com motores a combustão estavam se tornando viáveis, e a experiência de mais de 30 anos credenciava Roper a fazer o mesmo com os propulsores a vapor. Foi quando o inventor apresentou um veículo melhor, com mais autonomia, reaproveitando o carvão em um compartimento fechado, que, ao mesmo tempo, reduzia o mau cheiro. Em 1º de junho de 1896, Roper decidiu que seu engenho estava pronto para ser exibido ao público.

Partiu então para a pista de corrida de Charles River, e desafiou os pilotos de bicicleta a acompanhá-lo. Com 73 anos de idade, Roper conseguiu uma média de 48km/h na pista de madeira, deixando seus adversários para trás. Empolgado, ele tentou uma nova volta rápida para melhorar sua própria marca, foi quando a frente da bicicleta começou a oscilar, jogando Roper para fora da pista já morto. Todos pensavam que o tombo o teria matado, mas um exame feito depois confirmou um infarto fulminante. Nota-se já desta época a vontade de competir, mesmo que por motivações financeiras ou científicas. Nessa época cheia de descobertas, os inventos de Roper não foram suficientes para tornar o motor a vapor adequado para mover veículos leves como a motocicleta, mas inspiraram aperfeiçoamentos em locomotivas e navios. A história de Sylvester Roper é verídica, mas a paternidade da invenção da motocicleta é contestada.

O motor de combustão interna prevaleceu desde a sua criação e é um dos pilares na construção da motocicleta. Voltando um pouco no tempo, em 1860, na França, já existia um propulsor de combustão, alimentado por gás e fagulha de combustão interna, criado pelo engenheiro belga Étienne Lenoir, que era mais compacto e eficiente que os motores a vapor.[2]

Contudo, a história aponta um engenheiro mecânico chamado Gottlieb Wilhelm Daimler como o inventor da motocicleta. Wilhelm Maybach e Gottlieb Daimler construíram uma moto com quadro e rodas de madeira composto com um motor de combustão interna em 1885. Sua velocidade máxima era de 18 km/h e o motor desenvolvia 0,5 (meio) cavalo de potencia.

Gottlieb Daimler usou um novo motor inventado pelo engenheiro Nikolaus August Otto. Otto inventou o primeiro motor de combustão interna de quatro tempo em 1876, por isso é denominado como Ciclo de Otto, assim que desenvolvido, Daimler (antigo empregado de Otto) o converteu numa motocicleta que alguns historiadores consideram a primeira da historia. Em 1894 Hildebrand e Wolfmüller apresentam em Munique a primeira motocicleta fabricada em série e com claros fins comerciais. A Hildebrand & Wolfmüller manteve-se em produção até 1897. Os irmão russos residentes em París Eugéne e Michel Werner montaram um motor em uma bicicleta. O modelo inicial com motor sobre a roda dianteira teve início de produção em 1897.

Em 1902 foi inventada pelo francês Georges Gauthier, a motoneta (ou scooter, proveniente do inglês scooter), também conhecido como Vespa. A motoneta é um veículo de duas rodas provido de um quadro que preza pela proteção do piloto e com um painel. Foi fabricada a partir de 1914 e teve grande popularidade, sobretudo entre os jovens. Composta com duas rodas menores, e um quadro aberto que permite montá-la sem grande dificuldade. Possui também chassi protegido por carenagem, para proteção do componentes mecânicos, além de oferecer alguns itens de conforto e segurança como porta luvas, porta capacete, roda de estepe. São veículos desenvolvidos especialmente para o uso urbano.

Em 1910 surgiu o sidecar, uma moto com roda lateral que se une ao chassi através de um eixo, e possui um compartimento protegido com carroceria para abrigar uma pessoa. Para seu manejo, é necessário que o passageiro participe das manobras efetuadas pelo piloto, principalmente em manobras de curva.

Depois de retornado da Segunda Guerra Mundial (1945), os soldados americanos pareciam descontentes com as motocicletas que eram fabricadas pela Harley-Davidson e pela Indian. As motos que tiveram contato na Europa eram mais leves e ligeiras, o que transformavam em motos mais divertidas de conduzir. Estes veteranos começaram a mexer e customizar esses modelos, dando início ao que conhecemos como custom.

En otros idiomas
العربية: دراجة نارية
asturianu: Motocicleta
azərbaycanca: Motosikl
беларуская: Матацыкл
беларуская (тарашкевіца)‎: Матацыкл
български: Мотоциклет
català: Motocicleta
Mìng-dĕ̤ng-ngṳ̄: Mò̤-táuk-chiă
corsu: Motto
čeština: Motocykl
Чӑвашла: Мотоцикл
Cymraeg: Beic modur
dansk: Motorcykel
Deutsch: Motorrad
Thuɔŋjäŋ: Matïtït
Ελληνικά: Μοτοσικλέτα
English: Motorcycle
Esperanto: Motorciklo
español: Motocicleta
euskara: Motozikleta
français: Motocyclette
Gaeilge: Gluaisrothar
贛語: 摩托車
galego: Motocicleta
客家語/Hak-kâ-ngî: Kî-chhâ
עברית: אופנוע
हिन्दी: मोटरसाइकिल
hrvatski: Motocikl
հայերեն: Մոտոցիկլետ
Bahasa Indonesia: Sepeda motor
íslenska: Mótorhjól
italiano: Motocicletta
日本語: オートバイ
Basa Jawa: Pit montor
ქართული: მოტოციკლი
қазақша: Мотоцикл
한국어: 모터사이클
kurdî: Motorçerxe
lumbaart: Motociclèta
lingála: Tukutuku
lietuvių: Motociklas
latviešu: Motocikls
македонски: Мотоцикл
монгол: Мотоцикл
Bahasa Melayu: Motosikal
Mirandés: Motociclo
မြန်မာဘာသာ: မော်တော်ဆိုင်ကယ်
नेपाली: मोटरसाइकल
Nederlands: Motorfiets
norsk nynorsk: Motorsykkel
Diné bizaad: Dziʼizítsoh
ਪੰਜਾਬੀ: ਮੋਟਰਸਾਈਕਲ
polski: Motocykl
Piemontèis: Mòto
پنجابی: موٹر سیکل
Runa Simi: Mutur phirunku
română: Motocicletă
русский: Мотоцикл
sicilianu: Motucicletta
Scots: Motorcycle
srpskohrvatski / српскохрватски: Motocikl
Simple English: Motorcycle
slovenčina: Motocykel
slovenščina: Motocikel
Soomaaliga: Mooto
српски / srpski: Мотоцикл
Seeltersk: Motor-Rääd
Basa Sunda: Motor
svenska: Motorcykel
Kiswahili: Pikipiki
Tagalog: Motorsiklo
Türkçe: Motosiklet
українська: Мотоцикл
Tiếng Việt: Mô tô
Winaray: Mutur
ייִדיש: מאטאציקל
中文: 摩托車
文言: 電單車
Bân-lâm-gú: O͘-tó͘-bái
粵語: 電單車