Mol

Disambig grey.svg Nota: Para vela, veja Mole (náutica). Para outros significados, veja Mol (desambiguação).

O mol (português brasileiro) ou a mole (português europeu) é o nome da unidade de base do Sistema Internacional de Unidades (SI) para a grandeza quantidade de substância (símbolo: mol).[1] É uma das sete unidades de base do Sistema Internacional de Unidades, muito utilizada na Química.[2] O seu uso é comum para simplificar representações de proporções químicas e no cálculo de concentração de substâncias.

O Escritório Internacional de Pesos e Medidas define: "Mol é a quantidade de substância de um sistema que contém tantas entidades elementares quanto são os átomos contidos em 0,012 quilograma de carbono-12". [3]

A unidade mol é muitas vezes comparada à "dúzia", pois ambas são adimensionais (sem unidades) e são utilizadas para descrever quantidades. Porém, o uso do mol mostra-se adequado somente para descrever quantidades de entidades elementares (átomos, moléculas, íons, elétrons, outras partículas, ou grupos especificados de tais partículas).[4]

História

Professor A.W. Hofmann.

O termo molar (do latim moles, que significa "grande massa") foi inicialmente introduzido na química pelo químico alemão August Wilhelm Hofmann, por volta de 1865. O termo foi introduzido para indicar uma grande massa macroscópica, contrariando assim a palavra "molecular" (palavra também derivada de moles, pela adição do sufixo "-cula", significando "pequeno" ou "diminuto"). Esse uso particular do termo molar foi se tornando comum na literatura física por volta do ano de 1940. O uso mais restrito do termo molar, significando não somente uma amostra macroscópica, mas preferivelmente uma massa em gramas que reflete a massa de todas as moléculas contidas, bem como o uso da terminologia "mol", é geralmente atribuído ao físico-químico alemão Wilhelm Ostwald. Este termo aparece em vários livros científicos do século XX. De forma irônica, o uso do termo empregado por Ostwald esteve relacionado com sua crítica à teoria atômico-molecular e sua tentativa de estabelecer uma alternativa macroscópica para a discussão das leis estequiométricas. Embora o uso da definição de volume molar dos gases (22,4 L nas CNTP) tenha aparecido mais cedo — início do século XX em livros norte-americanos — a interconversão explícita de mol para grama, com o objetivo de facilitar na resolução de problemas estequiométricos, foi mais comum após 1950. Como uma nota linguística, é interessante saber que o termo "mol" também foi utilizado pelos romanos para se referir às pesadas pedras usadas para construir barragens marítimas e de moinhos. A posterior conexão linguística com o ato de moer também ocorre em outros casos, como em "dentes molares".[5]

Evoluções da definição

Wilhelm Ostwald.

Antes de 1959, tanto a União Internacional de Física Pura e Aplicada (IUPAP) quanto a União Internacional de Química Pura e Aplicada (IUPAC) usavam o oxigênio para definir a grandeza quantidade de substância, sendo definida como o número de átomos existentes em 16 g de oxigênio que possui massa de 16 g. Os físicos usaram uma definição similar a esta, porém, fazendo uso do isótopo do oxigênio de massa 16 (oxigênio-16).[6][7][8] Posteriormente as duas organizações entraram em um acordo, entre 1959 e 1960, e definiram a unidade de medida da grandeza quantidade de substância como:

Como adendo a esta definição, a IUPAC esclarece que, quando a terminologia mol for usada, as entidades elementares devem ser especificadas, podendo ser átomos, moléculas, íons, elétrons, outras partículas, ou grupos especificados de tais partículas.[9]

Essa definição foi adotada pelo CIPM (Comitê Internacional de Pesos e Medidas) em 1967 e, em 1971, ratificada pela XIV Conferência Geral de Pesos e Medidas (Resolução 3, 1971). Em 1980, o CIPM confirmou novamente esta definição, adicionando a informação de que os átomos de carbono-12 não estariam ligados por meio de ligações químicas, mas em seu estado fundamental.[2][4][6][10]

En otros idiomas
العربية: مول
অসমীয়া: ম'ল
asturianu: Mol
azərbaycanca: Mol
беларуская: Моль
беларуская (тарашкевіца)‎: Моль
български: Мол
བོད་ཡིག: མོལ།
brezhoneg: Mol
bosanski: Mol (jedinica)
català: Mol
čeština: Mol
Чӑвашла: Моль
Cymraeg: Môl (uned)
Deutsch: Mol
Ελληνικά: Γραμμομόριο
English: Mole (unit)
Esperanto: Molaro (kemio)
español: Mol
eesti: Mool
euskara: Mol
فارسی: مول
suomi: Mooli
français: Mole (unité)
Nordfriisk: Mol
Gaeilge: Mól
galego: Mol
עברית: מול
हिन्दी: मोल (इकाई)
Kreyòl ayisyen: Mòl
magyar: Mól
Հայերեն: Մոլ
Bahasa Indonesia: Mol
íslenska: Mól
italiano: Mole
日本語: モル
ქართული: მოლი
қазақша: Моль
ಕನ್ನಡ: ಮೋಲ್
한국어: 몰 (단위)
kurdî: Mol
Кыргызча: Моль
Lëtzebuergesch: Mol
Ligure: Mole
lietuvių: Molis (vienetas)
latviešu: Mols
македонски: Мол
монгол: Моль
मराठी: मोल (एकक)
Bahasa Melayu: Mol
Plattdüütsch: Mol (Eenheit)
Nederlands: Mol (eenheid)
norsk nynorsk: Mol
occitan: Mòl (unitat)
ਪੰਜਾਬੀ: ਮੋਲ (ਇਕਾਈ)
polski: Mol
Piemontèis: Mòle
پنجابی: مول
română: Mol
русский: Моль
русиньскый: Мол
srpskohrvatski / српскохрватски: Mol (jedinica)
සිංහල: මවුලය
Simple English: Mole (unit)
slovenčina: Mol (jednotka SI)
slovenščina: Mol (enota)
Soomaaliga: Mole
српски / srpski: Мол (јединица)
svenska: Mol
தமிழ்: மோல்
ไทย: โมล
Tagalog: Mole (yunit)
Türkçe: Mol (birim)
татарча/tatarça: Моль
українська: Моль
Tiếng Việt: Mol
Winaray: Mol
文言: 摩爾
Bân-lâm-gú: Mol
粵語: 摩爾