Margarida Teresa de Áustria

Margarida Teresa
Retrato por Jan Thomas, 1667
Imperatriz Consorte do Sacro Império Romano-Germânico
Reinado6 de fevereiro de 1685
a 11 de dezembro de 1688
PredecessoraLeonor de Gonzaga-Nevers
SucessoraCláudia Felicidade da Áustria
 
MaridoLeopoldo I do Sacro Império Romano-Germânico
DescendênciaMaria Antônia da Áustria
CasaHabsburgo
Nome completo
Margarida Maria Teresa
Nascimento12 de julho de 1651
 Real Alcázar de Madrid, Madrid, Espanha
Morte12 de março de 1673 (21 anos)
 Palácio Imperial de Hofburg, Viena, Áustria, Sacro Império Romano-Germânico
EnterroCripta Imperial, Viena, Áustria
PaiFilipe IV da Espanha
MãeMaria Ana da Áustria
ReligiãoCatolicismo

Margarida Maria Teresa de Habsburgo (Madrid, 12 de julho de 1651 - Viena, 12 de março de 1673) foi a esposa do imperador Romano-Germânico Leopoldo I e Imperatriz Consorte Romano-Germânica de 1666 até 1673. Era filha do rei Filipe IV da Espanha, com sua segunda esposa a arquiduquesa Maria Ana da Áustria, e irmã de Carlos II de Espanha, último rei da Casa de Habsburgo da Espanha.

Margarida é a a figura central do famoso quadro Las Meninas, de Diego Velázquez.

Família

Infanta Margarida em 1653, por Diego Velázquez.

Nascida em 12 de julho de 1651, Margarida Maria Teresa era a primeira dos cinco filhos do rei Filipe IV da Espanha com sua segunda esposa e sobrinha, a arquiduquesa Maria Ana da Áustria. Por causa deste casamento arranjado, a mãe de Margarida era quase trinta anos mais nova do que seu pai.[1] A união de seus pais foi feita puramente por razões políticas, principalmente a busca de um novo herdeiro masculino para o trono espanhol após a morte prematura de Baltasar Carlos, Príncipe das Astúrias em 1646. Além dele, o outro único descendente sobrevivente do primeiro casamento de de Filipe IV era a infanta Maria Teresa, que tornou-se rainha da França como consorte do rei Luís XIV. Depois de Margarida, entre 1655 e 1661 mais quatro filhos nasceram do casamento entre Filipe IV e Maria Ana da Áustria, mas apenas um sobreviveu à infância, o futuro rei Carlos II de Espanha.[2]

Apesar do alto grau de consanguinidade em sua família[3], Margarida Teresa não desenvolveu os sérios problemas de saúde e incapacidades que seu irmão mais novo mostrou desde seu nascimento. De acordo com os contemporâneos, Margarida Teresa era uma menina bonita, dotada de um caráter doce e alegre. Era também a filha favorita do rei Filipe IV, que em suas cartas particulares se referia a ela como mi alegría ("Minha Alegria").[4]

En otros idiomas